Tem questões sobre Psicologia?

Nós temos as respostas.

O que é a Psicologia Clínica e da Saúde?

Inicialmente a psicologia clínica e a psicologia da saúde eram dois campos distintos dentro da psicologia. A primeira focava a doença mental e, a segunda, a doença física.

Hoje, sabemos que a interação mente-corpo é um caminho bidirecional, tanto os fatores psicológicos podem contribuir para o início ou agravamento de patologias físicas, como as doenças orgânicas podem afetar a forma de pensar ou o estado de humor.

De uma forma geral, ambas a psicologia clínica e a psicologia da saúde, visam promover o melhor funcionamento psicológico possível, reforçando as capacidades da pessoa para lidar com os aspetos adversos da sua vida, contribuindo para a melhoria do seu bem-estar.

Psicologia Clínica

A psicologia clínica concentra-se principalmente no diagnóstico, compreensão e tratamento de perturbações mentais e dificuldades emocionais, ajudando as pessoas a lidar com aqueles quadros, melhorando a sua saúde mental, promovendo o bem-estar psicológico e aumentando a sua qualidade de vida.

Áreas de intervenção:

  • Depressão
  • Perturbações de ansiedade:
    • Perturbação de pânico e agorafobia
    • Perturbação de ansiedade generalizada
    • Perturbação de ansiedade social
    • Perturbação pós-stress traumático
    • Perturbação Obsessivo-compulsiva
    • Fobias específicas
  • Insónia
  • Luto
  • Problemas de relacionamento

Psicologia da Saúde

A psicologia da saúde examina a relação bidirecional entre a saúde mental e a saúde física como, por exemplo, o impacto que a saúde/doença tem no bem-estar psicológico da pessoa e vice-versa; assim como o papel dos comportamentos de saúde (por exemplo, sono, alimentação, atividade física) e a sua relevância quer para a saúde física quer para a saúde mental.

A psicologia da saúde preocupa-se em ajudar as pessoas a enfrentarem e/ou adaptarem-se à condição da doença física, mitigando o seu impacto no bem-estar psicológico, e, considerando os contextos familiares, culturais e sociais de cada um, orientá-las a lidar com as suas circunstâncias individuais para viverem vidas mais saudáveis e felizes.

Áreas de intervenção:

  • Adaptação psicológica a doenças graves e crónicas
  • Controlo da dor
  • Preparação, realização e recuperação de tratamentos médicos
  • Ansiedade em saúde
  • Stress
  • Estilos de vida pouco saudáveis

Modelos e Técnicas de Intervenção

Considerando o ser humano em todas as suas dimensões (BioPsicoSocioEspiritual), e com base num processo centrado na pessoa, conjugam-se diversas técnicas psicoterapêuticas:

  • Terapia cognitivo-comportamental
  • Terapia da aceitação e compromisso
  • Práticas de mindfulness
  • Hipnoterapia
  • Terapia transpessoal

Objetivo da Intervenção

Impulsionando uma atitude proactiva relativamente à mudança necessária, pretende-se que o utente adquira um conjunto de competências cognitivas, emocionais e comportamentais, a fim de potencializar uma relação mais saudável e gratificante consigo mesmo, com os outros e com o mundo.

População-alvo

Adultos.